O dia que a minha mãe virou puta dos meus amigos

Meu nome é Guilherme, tenho 19 anos. Moro com a minha mãe Ana Paula, de 40.

Nunca tive um pai presente, e por conta disso, era comum fantasiar meus amigos tendo relações com a minha mãe, sempre tentei esconder isso, apesar de ser algo que consome meus pensamentos sempre que estou com tesão.

Desde que eu nasci, minha mãe nunca teve um relacionamento sério, vez ou outra arranjava alguém pra sair sem compromisso, porém, com o tempo ela foi desistindo dessas relações, resultando em uma abstinência sexual de anos, que é notável pelo estresse constante.

Apesar de ter muitos amigos, apenas 3 são bem próximos e sempre estão comigo, e também são os que mais figuram nas minhas fantasias.

São eles: Leonardo, 19 anos, branco com corpo falso magro, tem uma personalidade marcante e fala tudo o que pensa, gosta de provocar sobretudo as garotas com quem conversa.

Felipe, 18 anos, branco com cabelos castanhos, magro e mais cauteloso com suas falas, porém é muito safado.

Henderson, 18 anos, magro, costuma ser bem desligado de tudo.

Minha mãe durante toda sua vida teve um corpo normal, não chamava atenção e era pouco atraente. Porém, há algum tempo decidiu mudar alguns hábitos, começou a fazer dietas e academia, que resultou em um corpo invejável, aliado ao silicone no peito, que o faz ter um corpo de deixar qualquer homem de queixo caído. Morena, com peitos grandes e firmes, barriga magra e cintura fina, quadril largo e um bumbum firme de tamanho médio/grande e coxas grossas, sempre atrai olhares quando desfila nas ruas. Além disso posta fotos levemente provocantes nas redes sociais, e meus amigos não perdoam, a chamam de gostosa sempre que tem oportunidade e fazem questão de detalhar o que fariam caso pudessem ir a cama com a ela. Sempre finjo estar bravo com essas situações, mas no fundo me da um tesão incontrolável…

Era sexta-feira quando minha mãe disse que ia sair com suas amigas pra beber e colocar a conversa em dia. Eu disse que ficaria em casa e chamaria meus amigos pra gente jogar videogame e botar o papo em dia também, ela me deixou um dinheiro e partiu.

Logo meus amigos chegaram, já pegamos algumas bebidas que tinha em casa e começamos a beber, conversamos bastante e demos muita risada. Lá pela 01h da manhã Henderson já tinha ido embora, Felipe e Leonardo estavam sentados um ao lado do outro no sofá, conversando sobre meninas do colégio, já estavam bastante afetados pelo álcool quando a minha mãe chega bastante bêbada, com quase noção nenhuma de suas ações. Usava um vestido preto decotado e curto, que realça seu físico. Ela me da um abraço e se dirige ao sofá pra cumprimentar os meninos, meio bamba por conta do efeito da bebida.

– Oi meninos! ela diz.

– Oi tia ambos respondem você está muito bonita hoje um deles completa.

Ela agradece enquanto chega até Felipe, abaixa, lhe abraça e da um beijo em seu rosto, após isso se levanta e vai até Leonardo, se abaixa e devido a tontura do álcool acaba dando um selinho acidental no rapaz. Quando vai se levantar ela perde o equilíbrio e cai de joelhos na frente de Leonardo, e, sem nenhuma noção das suas palavras diz:

– Nossa, por pouco não te paguei um boquete e ri.

Leonardo do jeito que era, amou a situação, e respondeu:

– queria eu receber um agrado de uma moça tão linda dessas

Minha mãe da um sorriso, e se levanta apoiando nas pernas de Leonardo, que segura firmemente a sua cintura, depois disso ela vai até o quarto.

– Hoje só vou embora depois de fuder a boca dessa cadela diz Leonardo enquanto acaricia seu pau por cima da calça.

Felipe não diz nada, porém é notável a vontade dele de fazer algo também. Enquanto isso eu observo toda a cena de longe, sem falar nada e disfarçando pra não atrapalhar.

Após alguns minutos minha mãe volta, ainda bastante afetada pelo álcool, pega um copo e se senta no meio dos meninos, quando esbarra no colo de Felipe.

– Pode ficar se quiser diz ele sem pensar duas vezes.

Ela toma um gole, levanta e senta na perna de Felipe, Leonardo já se aproxima e os 3 começam a conversar.

Papo vai, papo vem, eles dão muitas risadas e minha mãe vai cada vez mais pra perto de Felipe, inocentemente, que começa a passar a mão no seu quadril e pernas já na intenção de algo mais.

Até que Leonardo fala que gostou do selinho, que queria de novo pois tinha gostado, minha mãe que já tava soltinha nem relutou, e deu um beijo no garoto, porém de maneira bem mais lenta que a primeira, com direito a mordida e sorrisinho no final.

Eu quase não acreditava no que via, Leonardo e Felipe iam se aproveitando cada vez mas da minha mãe, que correspondia. Um ciúme gigante me consumia, porém o tesão era maior.

– Só faltou aquele boquete que a senhora prometeu diz Leonardo em tom provocante Vai ter que pagar pros dois completa.

Felipe já acelerava os movimentos com a mão nos quadris quando Leonardo puxa o decote da minha mãe, expondo aqueles lindos peitos, e antes que ela pudesse dizer algo ele já da um selinho pra calar ela, que entra no ritmo de ambos.

Depois de alguns beijos, mãos bobas e provocações entre os três, minha mãe fica de 4 no sofá, tira o pau de Leonardo pra fora e começa a chupar, com uma sede de quem já estava a anos de abstinência. A bunda empinada para Felipe soava como um convite, o rapaz não bobeou em subir o vestido e descer a calcinha, metendo seu pau inteiro na buceta da minha mãe.

Nesse ponto a raiva quase me consumia, mas o tesão era 3 vezes maior, então tirei o pau pra fora e comecei me masturbar assistindo a cena.

Quanto mais tempo passava mais a vontade os meninos ficavam, até começarem a ser mais agressivos, dando tapas e xingando a minha mãe de tudo que ela tinha direito.

Seguiram assim até certo ponto, quando ela virou e mamou Felipe, e Leonardo começou a meter. Ficaram assim até ambos falarem que estavam perto de gozar, então minha mãe se ajoelhou e esperou que os meninos gozassem sobre seu rosto. Pra mim aquilo foi um sonho e um pesadelo ao mesmo tempo.

Depois disso minha mãe chamou ambos pro chuveiro, e fez questão de lavar ambos com bastante cuidado, enquanto os dois se aproveitavam da ingenuidade que o álcool proporcionava a ela, dedando tudo o que tinham direito.

Vi tudo pela fechadura e depois fui até a minha cama e fingi estar dormindo, de canto pude ver minha mãe dando um selinho de despedida nos dois, depois que ela foi deitar ainda bati umas 2 punhetas pensando em tudo que tinha acontecido.

Pra minha sorte, minha mãe não lembrava do ocorrido, meus amigos diziam se lembrar do selinho mas não da transa, o que me permitiu guardar esse momento em segredo.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.